Plantar uma árvore

Porque é que alguém há-de querer plantar uma árvore? Por muitas razões. Porque gosta, porque precisa de mais privacidade, uma sombra no Verão, protecção dos ventos frios do Inverno, porque precisa de uma barreira sonora, para reduzir a erosão do solo, para reduzir a poluição do ar, pelo seu valor económico, para aumentar o valor de uma propriedade, pela beleza, pelas flores na primavera, pelos frutos, para abrigar pássaros e outros animais, porque quer oferecer a uma pessoa ou lembrar alguém…

Antes de escolher
Escolher uma árvore deve ser uma decisão bem ponderada. Trata-se de um investimento de uma quantidade de tempo considerável, por vezes de várias gerações, centenas ou mesmo milhares de anos. Também pode ser um investimento relativamente avultado de dinheiro, pois algumas árvores são bastante caras.
Uma árvore inapropriada para o local, pode ser um fonte constante de aborrecimentos, problemas, manutenção ou mesmo acidentes. Antes de escolher, deve tirar partido da abundante informação disponível em livros ou na internet.

Algumas considerações a ter em conta
Para que vai servir esta árvore? Para algum dos propósitos da introdução deste texto, ou outro?

A espécie é apropriada para o clima e solo do local? Tenha também em atenção os micro-climas do local. Uma árvore autóctone não poderá falhar neste aspecto.

Que tamanho atingirá? Quando se planta uma árvore com 30cm ou 150cm, é difícil imaginar o espaço que ocupará passados apenas 20 anos, podendo tomar conta de todo o espaço e Sol disponível. Infelizmente, muitas árvores são plantadas apenas para serem removidas uma década ou duas depois, o que não faz sentido.

Qual é a esperança de vida da árvore? Há árvores que vivem centenas ou milhares de anos, mas outras apenas algumas dezenas. Estas árvores de vida mais curta, são geralmente menores e podem oferecer algumas vantagem além do tamanho, como a forma, frutos ou interesse ornamental elevado. Também podem preencher o espaço enquanto as árvores de grande porte amadurecem.

Tem algum valor ornamental especial, como cor da folhagem, flores ou frutos? Algumas árvores têm interesse extra em determinadas épocas do ano. Tem de se ter em consideração que as árvores que frutificam, por vezes sujam os caminhos e pátios abundantemente. O exemplo extremo que me lembro é o diospireiro. Para esses locais não é de considerar este tipo de árvores.

Tem alguma susceptibilidade a doenças, insectos ou outro problema que possa reduzir o seu encanto? O controlo de pestes pode ser difícil e ainda mais sem o recurso à indústria química que é desaconselhado. Se a espécie é frágil nesse aspecto, talvez valha a pena considerar alternativas.

A espécie é comum na vizinhança? Diversificar permite abrigar mais vida selvagem e impede que uma única doença possa atacar todas as plantas.

A árvore é perene ou caducifolia? Uma árvore perene oferece sombra e abrigo durante todo o ano. Também são mais eficazes como barreira para o vento ou ruído. As árvores de folha caduca, dão sombra no Verão, mas permitem que os raios solares passem no Inverno. Como marcam acentuadamente as estações do ano, têm um valor decorativo elevado. Mas também é bom pensar na limpeza das folhas no Outono.

O local
É essencial escolher bem o local, sendo por vezes a diferença entre uma vida longa e digna, ou curta e cheia de problemas. Não sei como anda a lei relativamente a plantação de árvores de grande porte que posteriormente pendam para o espaço público. Convém verificar antes a distância permitida aos passeios ou iluminação pública, por exemplo.
Tenha também os vizinhos em consideração. Eles podem não achar muita piada a um enorme cedro que lhes tape a luz do Sol, ou a ter o pátio cheio de frutos e folhas em determinadas épocas. Certas árvores, como a Figueira, têm uma distância regulamentar a poços e cursos de água (julgo que 50m).
Em última análise deve-se sempre considerar o tamanho da árvore adulta, relativamente ao local pretendido.

Plantar
Uma árvore bem plantada e tratada, num local onde esteja feliz, crescerá muito mais depressa que noutras condições.
Os exemplares podem ser adquiridos em vaso ou com raíz nua. Neste último caso, são muito mais baratas e foi assim que adquirimos a maior parte das árvores florestais para o Sargaçal. Quando envasadas, as árvores podem ser plantadas com sucesso durante todo o ano, desde que devidamente regadas.

Costumamos cavar buracos de tamanho considerável, o triplo do diâmetro do vaso e o dobro da profundidade. No caso dos 100 primeiros Castanheiros, foram buracos consideravelmente maiores (não adiantou por aí além).

Colocamos no buraco uma quantidade grande de matéria orgânica. Composto comprado ou compostado no local. Depois cobrimos com uma ligeira camada de terra, para que as raízes não toquem directamente nesta matéria. Também se pode misturar a matéria orgânica na terra que saiu do buraco.

Em vaso, deitamos a árvore ao lado do buraco e batemos no lado do vaso e também no fundo para libertar as raízes. Retira-se a árvore gentilmente, sem desfazer a terra que vem agarrada. Se a concentração de raízes já for demasiada, pode-se tentar soltar algumas.

Nas de raíz nua, deve-se encurtar raízes excepcionalmente longas. Também distribuir o sistema radicular equilibradamente na cova.

Coloca-se a árvore no buraco, tendo o especial cuidado que fique na vertical e exactamente no mesmo nível de profundidade que estava anteriormente. Habitualmente, está bastante visível uma marca no tronco.

Enche-se o buraco com a mesma terra que de lá saiu. Deve-se retirar previamente as pedras, paus ou raízes que eventualmente tenha. Calcamos um pouco e rega-se abundantemente para que a terra que cole bem às raízes. Esta rega deve ser efectuada mesmo se estiver a chover.

Por fim, pode-se fazer uma caldeira (um redondo para a água se acumular), fazendo um montinho de terra à volta da árvore, mas não retirando terra de junto do tronco. Pode-se também cobrir o solo com mais matéria orgânica (palha, estilha de madeira) deixando sempre cerca de um palmo em volta do tronco.

As estacas ou tutores, podem ser o maior inimigo da jovem árvore e nunca as usamos na plantação. Já aconteceu no entanto, a árvore começar a dobrar ou a ficar desiquilibrada e aí colocamos um tutor. No entanto, esta operação a posteriori pode danificar o sistema radicular. Se o locar é ventoso ou a árvore muito frágil, mais vale então fazê-lo durante a plantação. Nesse caso, deve-se cuidar para que a estaca nunca toque no tronco.

Depois, é só tratá-la bem, o que significa praticamente regar regularmente durante os dois primeiros anos de vida. É bastante gratificante vê-las crescer, mas não adianta ter pressa, apesar de já ter visto uma cerejeira crescer uns 2,5m num ano, a maior parte cresce muito mais lentamente, mas sempre de forma visível. Tudo somado, é muito bom plantar árvores.

Links de interesse

American Forests
Como plantar uma árvore.

Kids F.A.C.E.
Como plantar uma árvore, nesta organização de crianças ambientalistas.

Canadian Tree Planting
Um site interessante de uma profissão que nem sabia que existia — plantadores de árvores profissionais e em massa.

BBC Gardening
O básico de como plantar uma árvore, com boas fotografias explicativas. Nota: não vejo necessidade da estaca no fim, para o exemplar ilustrado.