O cânhamo contra as lagartas das couves

Para livrar as couves e outras plantas hortenses de serem roídas pelas lagartas, aconselha a “Revue Horticole” semear o cânhamo* nas hortas, em volta dos canteiros onde se cultivam aquelas plantas.
O cheiro desagradável que exala o cânhamo parece que faz afugentar aquela praga, que tantos estragos causa nas couves, repolhos e outras plantas das hortas.

Jornal Horticolo-Agricola, Dezembro de 1906

* Não sei é ilegal a cultura do cânhamo em Portugal. A Wikipedia diz que era desde 1971 mas que essa lei foi revogada pela UE, que inclusivamente subsidia a sua cultura.

45 Responses to “O cânhamo contra as lagartas das couves”

  1. cerveira pinto

    Caríssimo
    O cultivo do cânhamo em Portugal é legal (tal como em toda a comunidade europeia) e subvencionado, como dizes. No entanto temos que ter em consideração que a estirpe tem de provir de semente devidamente certificada de forma a que esteja garantido que o teor de THC (toxicidade) seja inferior a 0.3. É uma planta com qualidades, no mínimo, impressionantes. Por exemplo: pode render entre 4 a 5 vezes mais pasta de papel que uma área equivalente de floresta (ou eucaliptos). Como é uma planta anual não obriga a monocultura, podendo até ser integrada com vantagem, na rotação agrícola. Produz duas a três vezes mais fibra textil que uma área igual de algodão, mas sem necessidade de utilização de pesticidas ou herbicidas, podendo por isso ser um produto 100% biológico, tornando as roupas particularmente indicadas para as crianças. A semente fornece óleo de alto valor nutritivo, rico em proteínas, vitamina B e ácidos insaturados, inclusive o ácido linoleico, sendo por isso um excelente óleo alimentar. O óleo é também usado frequentemente no fabrico de cosméticos. Os desperdícios podem ser usados como material de construção (reboco de paredes, isolamento térmico, etc…), biomassa, plástico (!!), etc. Trata-se ainda de uma das primeiras plantas medicinais a ser usada pelo Homem, sendo o ÚNICO medicamento eficaz no tratamento do glaucoma e permite tratar outras doenças, como as náuseas da quimioterapia, a esclerose múltipla, paralesias graves, asma, depressão, etc… Isto, note-se, com uma toxicidade relativamente baixa, se comparada com os medicamentos químicos e convencionais.
    Supõe-se que tenham sido os romanos a introduzir o cultivo do cânhamo para Portugal e é no período dos Descobrimentos que o cultivo atinge o seu auge, pois com a fibra extraída da planta eram fabricadas as cordas e velas dos navios. Cai pposteriormente num período de esquecimento, tendo ressurgido no período do Estado Novo, que em 1937 relança o seu cultivo com uma campanha de produção intitulada “Pró-Cânhamo”. O cultivo mantém-se até 1971, altura em que, graças a pressões internacionais, nomeadamente dos EUA, o seu cultivo é proibido.
    No entanto sabemos que o cultivo do cânhamo foi permitido nos EUA durante a segunda guerra mundial, para facilitar a produção textil de material de guerra (fardas, tendas, cordas, etc…), tendo sido lançada uma campanha que se intitulava “Cânhamo para a Vitória”. Com o fim da guerra voltou a ser proibido (!!). As próprias calças “Lewi’s” (passe a publicidade) eram inicialmente feitas de cânhamo e a primeira campanha publicitária dizia: “Umas calças para toda a vida” (Num mundo consumista percebe-se muito bem porque falhou o seu fabrico neste material…)
    O cânhamo é cultivado em todos os continentes e está a ressurgir na Europa, com especial incidência em França, Alemanha, inglaterra, Espanha, Holanda, Áustria, etc…
    Em Portugal há uma empresa chamada “Cânhamo de Portugal”, devidamente certificada (desde 1999) que comercializa (e produz) diversos produtos em cânhamos, desde materiais de construção, produtos alimentares, vestuário, cosméticos, sementes, etc…
    Há relativamente pouco tempo um dos directores desta firma deu uma aula prática na Faculdade de Arquitectura do Porto, à qual assisti, sobre a fabricação de tijolos feitos à base de cânhamo.
    É isto o que posso dizer – e acho que dá muito que pensar.
    Abraço
    Manuel da Cerveira Pinto

  2. José Rui Fernandes

    De facto, sei pouco sobre o cânhamo e é algo que vale a pena ser investigado brevemente.
    Obrigado pelo extenso e informativo comentário.

  3. Filipe

    Excelente o primeiro comentário, se quiseres plantar canhamo legal, de um modo rápido,podes ir a uma loja de pássaros, vende-se canhamo em semente separada, normalmente para os canários cantarem melhor. Numa mistura normal de canários são as sementes mais grossas que estão na mistura.

  4. Filipe

    Da wikipedia

    O cânhamo (Cannabis ruderalis) é uma planta da família Cannabaceae, diferindo da Cannabis sativa e da Cannabis indica pelo baixo teor de um princípio ativo conhecido como THC (tetraidrocanabinol).

  5. Ines Amara

    Nem sei como começar a responder.. Entristece-me que em 2007 ainda seja generalizada a ideia de que o cultivo e transformação do Cânhamo são ilegais em Portugal.
    O facto de Cannabis e Cânhamo, serem plantas da mesma espécie ou origem, cada uma delas se integra em legislação completamente diferente.
    Existe uma legislação Portuguesa para drogas; existe uma legislação Comunitária para produção de Cânhamo.
    O facto de Cannabis e Cânhamo, serem plantas da mesma espécie ou origem, cada uma delas se integra em legislação completamente diferente.
    No entanto, por uma questão de diferenciação, entre o que é uma, e o que é outra, exige-se um controlo de THC e respectivos intervenientes. O que é perfeitamente aceitável.
    Sendo cada uma delas diferentes, e dado que cada uma delas tem licitudes e leis completamente distintas, o que temos de fazer é, separar o que é “droga” do que é Cânhamo.
    Sendo que, este último, tem legitimidade para ser cultivado, transformado e comercializado de acordo com a legislação Comunitária (esta sobrepõe-se a qualquer legislação de cada estado membro, sempre que exista conflito entre ambas), sendo por isso licito qualquer acto decorrente de uma cultura prevista nos regulamentos atrás referidos, nomeadamente os RCE (regulamento das Comunidades Europeias) Nº 619, 1164 e pelas várias alterações que posteriormente lhe foram introduzidas.
    Assinala-se que o cânhamo é um ingrediente admitido em muitos produtos alimentares; aliás a produção de cânhamo (Cannabis sativa, L.) de variedades com um teor de tetrahidro canabiol (THC) não superior a 0,2% é autorizada no espaço europeu, sendo inclusivamente objecto de ajudas.
    ….

    É com prazer que assinalo aqui para todos os interessados que em breve teremos no nosso site http://www.canhamo-pt.com TODA a informação necessária para quem quer cultivar o cânhamo em Portugal (e apoio dentro das nossas possibilidades). Serão Manual do Cultivo do Cânhamo… de 2007!
    Fazemo-lo com a sublime e essencial ajuda do gerente da conhecida ex-CÂNHAMO Portugal LDA (Augusto Teixeira) e temos como objectivo continuar a sua missão e ajudar ao renascimento desta cultura em Portugal, que como diz aqui muito bem o Manuel da Cerveira Pinto foi uma das maiores culturas não só neste País como no mundo. Afinal, sem exageros, o Cânhamo é uma planta que pode mesmo ajudar a salvar o nosso Planeta. Comecemos por Portugal.

    Teremos também em breve à venda as sementes legais para a dita plantação (por enquanto o que temos é para a alimentação humana (que como podem ver é excepcional), cosméticos e roupa/acessórios.

    Temos muita informação no site mas estamos sempre dispostos a responder a qualquer outra pergunta.

    info[arroba]canhamo-pt[ponto]com

    Saudações biológicas
    Por um mundo melhor e um Portugal alerta, e são.

  6. José Rui Fernandes

    Entristece-me que em 2007 ainda seja generalizada a ideia de que o cultivo e transformação do Cânhamo são ilegais em Portugal.

    Parece-me uma dúvida legítima para quem não está dentro do assunto.
    Felizmente, com os comentários de todos, sei bastante mais do que sabia há uns dias.

    Ficamos à espera da informação sobre o cultivo — mas o cultivo por si só não resolve nada, quem transforma a matéria prima nos produtos mencionados? Tanto quanto sei, Portugal não tem essa indústria.

  7. Ines Amara

    Caro José Fernandes
    Não era de maneira alguma uma critica pessoal… Perdoe se a levou assim.
    Era sim uma crítica ao País em que vivemos…
    Desde pelo menos 1998 que o dito Augusto Teixeira da Cânhamo Portugal Lda anda a tentar reavivar a cultura em Portugal. Todos conhecemos o triste acontecimento da prisão dos agricultores devidamente certificados e subsidiados em 98, pela ignorância das autoridades. E nós continuamos a ter que constantemente explicar que o Cânhamo não só é legal como apoiado na UE…. e que a roupa não se fuma… etc.etc.

    A Cânhamo Portugal Lda já não está activa mas a paixão do dito Augusto Teixeira e o seu conhecimento estão muito activos! (deve ter sido ele ao qual o Cerveira Pinto se refere que deu uma aula na Faculdade de Arquitectura do Porto).

    O nosso objectivo é levar esta paixão nossa e do Augusto Teixeira entre outros, à acção.

    Há muita coisa que se pode fazer com o cânhamo mesmo sem indústria de transformação. “Livrar as couves e outras plantas hortenses de serem roídas pelas lagartas… – José Fernandes”, compostagem, “Como é uma planta anual não obriga a monocultura, podendo até ser integrada com vantagem, na rotação agrícola… – Cerveira Pinto”, e até alimentação para humanos (neste caso as sementes que podem ser transformadas em leite ou óleo ou mesmo comidas directamente, torradas, cozinhadas, feitas em farinha, e mesmo as folhas secas para chá – ver propriedades Ómega 3 e 6 nível proteico etc., no nosso site http://www.canhamo-pt.com [Nota do ed.: Este link está desactivado]. O Cânhamo também é um excelente alimento para alguns animais e óptimo para cama para gado, além de ser relativamente fácil a sua transformação para materiais de construção. E claro não esquecer a energia biodiesel…

    No entanto estamos a criar um projecto no qual acreditamos e que tem grande potencialidade para ir para a frente que incluirá o cultivo e a transformação têxtil no Alentejo. Há já câmaras no norte que têm um projecto para uma fábrica de fiação do cânhamo e do Linho (não posso dizer quais pois ainda não estão oficializados), e gostaremos de ir mais além com a transformação para alimentação. Os cosméticos para nós é mais complicado mas esperemos que alguém em Portugal se interesse nesse campo também (o cânhamo tem propriedades extraordinárias para a pele e cabelo/couro cabeludo – mais informação no nosso site http://www.canhamo-pt.com [Nota do ed.: Este link está desactivado])

    Existe em Portugal quem cultive e faça as suas roupas de cânhamo, quem cultive para o seu consumo alimentar, e ate existe quem faça papel de cânhamo (neste caso usam o cânhamo já em tecido http://www.moinhodacarvalhagorda.pt/ )

    A dificuldade da transformação do cânhamo não é tanta como se pensa. É necessária a vontade, e que… não sejamos mais uma vez presos por ignorância das autoridades. Por essa razão o nosso projecto começou “ao contrário”: importamos produtos biológicos provenientes do Cânhamo do mercado UE para mostrar e explicar aos portugueses que não só existe como é legal e óptimo para a nossa saúde e para a saúde do planeta.
    A fase a seguir é ter o MANUAL do cultivo e ajudar quem quer cultivar.
    Ao mesmo tempo trabalhamos para que a indústria de transformação venha a ser brevemente uma realidade.

    Esperamos vir a contar consigo!
    Vamos estar na TERRA SÃ da Agrobio de 18 a 20 deste mês de Maio. Aí esperamos já ter as sementes para cultivo e pelo menos a informação mínima para ajudar quem quer cultivar.

    Aproveito para lhe agradecer, José Fernandes, por este blog e para pedir ao Cerveira Pinto para usar alguma da sua informação no nosso site, e para nos contactar pois parece-me que é mais um que sabe bastante desta maravilhosa planta. Ou que se interessa, como nós.
    Saudações biológicas

    Inês Amara

  8. José Rui Fernandes

    Não era de maneira alguma uma critica pessoal… Perdoe se a levou assim.
    Era sim uma crítica ao País em que vivemos…

    Não levei — neste caso eu levantei a questão da legalidade. Mas quando se ouve falar do cânhamo é em termos depreciativos ou relacionado com actividades ilícitas (refiro-me aos media). Em resumo, a informação é nula.

    O que me referia, era em termos industriais. Qualquer um pode ter meia dúzia de plantas e usá-las para espantar largartas da couve, chá ou o que seja. O problema está em rentabilizar a cultura, que é única forma de a popularizar.

    Não posso ir à Terra Sã, mas estou bastante interessado neste assunto.

  9. cerveira pinto

    Caríssimo
    Nunca pensei que este tema iria ser tão apreciado e comentado… De facto não se entende tanto desconhecimento e preconceito. Ou por outra, talvez se entenda se se começar a pensar que os maiores produtores de fibras têxteis optaram por outras soluções que não o cânhamo, como por exemplo o algodão. Não estando a querer defender a “teoria da conspiração” parece-me óbvio que não querem abdicar de serem os líderes mundiais dessa produção, nem gastar milhões na reconversão do sistema, mesmo se isso acarreta resultados tão catastróficos como “o maior desastre ambiental do planeta” que é o Mar de Aral.
    Por todos os motivos (melhoria do canto dos canários inclusive…) o cultivo do cânhamo deveria ser incentivado, e é-o na realidade, pois a Comunidade Europeia financia cerca de 2.000 € por hectar de cânhamo devidamente certificado!!!… No entanto, não é difundido e apenas se vê plantar eucaliptos por todo o lado, contribuindo-se assim alegremente para a desertificação cada vez mais acelerada da península.
    Há pois que repensar tudo isto, urgentemente e divulgar para a mudança. Vou fazer um pequeno artigo no “Boassas” (http://boassas.blogspot.com) – perdoa a publicidade – sobre este tema.
    Abraço e até breve
    Manuel

  10. Ines Amara

    Caro José Rui Fernandes

    Como disse no início o reavivar da cultura do Cânhamo em Portugal (que já foi em tempos obrigatória neste Pais!), tem sido alvo de várias investidas (desde a renovação da sua legalidade e apoio da UE). A mais significativa foi, e continua a ser, a da Cânhamo Portugal na pessoa do Augusto Teixeira.
    Existe, como lhe disse, um projecto em aprovação para uma fábrica de fiação de linho e cânhamo no norte e nós, a Elo Biológico, estamos aqui no Alentejo a trabalhar num projecto que incluirá o cultivo, transformação, fiação, e produção de uma linha de vestuário (e acessórios) ecológica portuguesa.
    Há no entanto já a possibilidade de transformar o Cânhamo ou seja, de soltar a fibra do Cânhamo cá em Portugal e depois usá-la para vários fins, desde cama para gado a fibra a biodiesel, a materiais de construção etc. Também já há um projecto (que não posso ainda falar) de uma casa feita de cânhamo.

    Temos que ser pacientes e cautelosos para que não vá tudo por água abaixo… ou “para trás das grades”… mas estamos a trabalhar para fazer disto uma realidade.

    No nosso site temos um Cartoon que é justificativo (embora o Cânhamo não seja ilegal aqui mas sim nos EUA, como mencionou o Cerveira Pinto): http://www.canhamo-pt.com/shop/contents/media/CANHAMO_joke.jpg

    Na realidade o Cânhamo NÃO interessa ao poder económico. É perfeito demais e substituiria tanta indústria que para as grandes potências é bom continuarem a alimentar o Tabu da Droga-Loucura-Morte!

    E aqui em Portugal, por muito que seja legal e subsidiado… há uma grande falta de vontade dos altos poderes para abrirem as portas a esta planta! Nem calcula o que temos que aguentar e passar para estarmos nas feiras biológicas… nem ao que temos que responder diariamente…e há poucos distribuidores interessados em apostar no cânhamo por… medo! Podemos mostrar-lhes todos os certificados… e mesmo assim…

    A verdade é que antes de mais, como disse atrás, temos que ser pacientes e cautelosos. INFORMAÇÃO INFORMAÇÃO INFORMAÇÃO… é a nossa aposta. Primeiro temos que INFORMAR os portugueses… só depois será viável o mercado, não concordam?

    É lógico que tem que haver transformação para haver um cultivo lucrativo. Até lá, como disse, saber que é legal já é quase suficiente para começarmos aos poucos. Pelo menos sabe que pode usá-lo na sua horta para as lagartas.

    Estamos à espera de completar o tal manual do cultivo que incluirá as possibilidades de transformação e portanto escoamento das produções. Fique atento ao nosso site e pelo nosso lado não nos esqueceremos de si.

    E Cerveira Pinto: agradeço que continue a discussão no seu blog. Ate breve!

    Abraço
    Ines

  11. José Rui Fernandes

    Cara Inês, o que eu digo é — não se esqueçam do aspecto comercial. Senão podem acontecer duas coisas que já aconteceram vezes sem conta, primeiro por muita boa vontade que tenham, chega o dia em que é mesmo preciso pagar as contas ou fechar a porta; segundo, se tudo se tornar viável por via da tal informação, rapidamente um “tubarão” toma conta do negócio se o caminho estiver livre (e de facto mesmo que não esteja, como se está a verificar nos produtos biológicos, agora que o mercado começa a ficar maduro).

    Concordo que há falta de informação, como se viu eu próprio sou vítima disso, mas não sou grande exemplo, sei pouco.
    Não compro essa teoria que o cânhamos não interessa ao poder económico. Se é assim tão viável, mesmo que não interesse a uma série de lobbys — indústria do algodão, química, etc –, isso não devia de ser impedimento de nascerem outras indústrias paralelamente. No meu entender, o principal obstáculo está ultrapassado que é a legalidade. E até há subsídios.

    Outra questão é a diferença entre cultivo e produto final. Tudo bem a informação, acho que sim. Mas se no momento o cânhamo tem má imagem, para quê insistir nisso? Se eu fabricasse roupa para crianças de cânhamo (como referido), colocaria esse facto em letras pequenas, nunca em letras garrafais. Se a imagem fosse mudando e o mercado começasse a aceitar como alternativa ao algodão (por exemplo), aí sim.

    Basicamente, mesmo ainda sendo um ignorante no assunto, acho tudo muito interessante e a planta maravilhosa.
    Tenho a certeza que não faltará quem queira cultivar se houver quem transforme — e havendo quem transforme os clientes aparecem, seja com a palavra “cânhamo” no rótulo ou não. Além disso, para muitos produtos mencionados é completamente indiferente se é cânhamo ou outra coisa qualquer — biodiesel, pasta de papel, óleos industriais, etc.

    Ora bem, preciso de meia dúzia de sementes para experimentar… Onde as posso arranjar? As dos canários serão viáveis? Preferia coisa certificada e com nome.

    Cá para nós, eu ia experimentar de qualquer forma… Quando disse ao meu pai aquilo das lagartas, ele perguntou logo se queria a polícia à porta… E eu perguntei-lhe se estava a pensar em denunciar-me…
    Tem piada, mas a questão do ilegal está muito enraizada (passe a alegoria). Mas eu experimentava na mesma — era por uma boa causa.

  12. Gabriela

    :-)

    Que ideia fabulosa! Levo cannabis sativa ‘a minha mae e digo-lhe que é bom para as lagartas das couves.

    Que fixe!

    Este blogue é cheio de boas ideias. Obrigado!

  13. José Rui Fernandes

    Não sei o que andas a aprender lá pelas germânias Gabriela…

    Este blogue é cheio de boas ideias.

    Ah, isso é verdade! :)

  14. Gabriela

    Digamos que a minha mae se tornaria altamente popular entre vários amigos meus.

    Eu andei a passar-lhe as tuas dicas. Ela está a gostar. Parece que tens outra fa. Eu sou o intermediário (if you know what I mean).

    :-)

  15. Ines Amara

    Bom dia José Fernandes

    1- Podes-nos comprar as sementes certificadas. As dos canários não estão certificadas nem sei se podes semear algo com elas. Estamos só à espera de as ter a partir do tal Augusto Teixeira da Cânhamo Portugal. Esperamos estar já a vende-las na TERRA SÃ. Se queres ir pelo seguro e pela legalidade, aguarda só mais este bocado, pelas sementes e pela informação sobre como as cultivar.
    2- Acho que interessa sublinhar que é de Cânhamo que os produtos são feitos, porque não conheço outra planta na natureza com esta diversidade e potencialidade, e sendo uma planta tão simples de cultivar e tão pouco exigente, que dá tanto em troca por tão pouco… parece quase uma dádiva da natureza. Acredito mesmo que se possa fazer uma economia sustentável somente à base de Cânhamo… e com os recursos todos a esvair-se não é fantástico ter isto em mente? O Cânhamo já foi obrigatório em períodos de seca e fome… não digo muito mais pois começo a parecer fundamentalista… quando o que prefiro ser é alerta. Estamos só a trabalhar em alternativas para o caos ecológico onde nos metemos. O Cânhamo é um óptimo começo.
    3- Acho que também respondo à tua preocupação em termos de viabilidade económica. Não somos utópicos, mas há que haver paixão e sacrifícios a fazer para termos um planeta mais saudável.
    Se queres uma resposta clara e honesta é Não: Apostar no Cânhamo não é ainda neste país um bom investimento económico. Só um bom investimento ecológico. Por enquanto ainda vivemos num mundo onde se tem que escolher entre os dois.
    Abraço amigo
    Inês

  16. José Rui Fernandes

    Vou esperar então — agora era bom porque decerto germinariam. Deve ser a época.

    Acho que interessa sublinhar que é de Cânhamo que os produtos são feitos, porque não conheço outra planta na natureza com esta diversidade e potencialidade, e sendo uma planta tão simples de cultivar e tão pouco exigente, que dá tanto em troca por tão pouco… parece quase uma dádiva da natureza.

    Uma coisa leva à outra. Há o efeito surpresa de descobrir que algo é feito de cânhamo que também tem piada.
    Como disse, eu num negócio de cânhamo, hoje, não insistia muito no assunto. Andava em paralelo — ia tratando de vida enquanto informava. Uma não impede a outra.

    Ora bem, conheço muitos negócios de nicho em que as pessoas conseguem ter bons rendimentos e uma boa vida. Acho o cânhamo muito parecido com o negócio Izzy Lane que já tinha referido no blogue — salvam as ovelhas, produzem peças de roupa com teares com mais de 100 anos…
    A transformação seria essencial — por exemplo têxtil. Era preciso quem extraisse as fibras, quem as fiasse, estilistas e fabrico — e comércio. Não faltam fábricas têxteis falidas, decerto há máquinas a preço minúsculo. Mas já se sabe que para estes factores todos, os astros têm de andar mesmo muito alinhados.

    Sobre a paixão e sacrifícios, também já não tenho essa esperança. Primeiro, porque não é a paixão e sacrifício de meia dúzia que vai fazer a diferença. Segundo por isto. E cada dia que passa estou mais pessimista.
    Mas não deixo de tentar melhorar as minhas atitudes por isso. É só constatação de factos.

  17. Pesetas

    Épa pa mim o unico problema daquilo é o baixo teor de THC… Plantem as da alpista, eu tou a plantar, e quando nascer os cabeços, deixa la ver se o teor de THC é assim tao baixo…

    “Why you drink and drive,when you can smoke and fly?”

  18. Antonio Mello

    Saudações !

    A cultura do cânhamo nas espécies com baixo teor de thc (tetrahidocanabinol) é um recurso natural legal e até subsidiado pela UE, porque o fenótipo é idêntico ao das espécies alucinogénicas, que de resto é melhor, que o ópio ou a cocaína, é uma planta “maldita” que devia ser acarinhada em Tugal pois poderia ser a solução económica e financeira do país. A cultura é muito fácil, em terrenos com bastante agua, as sementes para os periquito são fiáveis, mas escusam de plantar para dar “moca”.

  19. pedro sá

    gostaria que me enviassem informação sobre o cultivo de canhamo industrial,é em estufa ou uma cultura normal?
    E o esquamento do produto é garantido,há compradores que se possam contactar? Faço estas perguntas pois estou com um projecto de plantação de canhamo cá em Portugal e toda a informação que poder recolher é-me útil.

  20. José Rui Fernandes

    Caro Pedro Sá, está num projecto de plantação de cânhamo em Portugal e não sabe sequer se é em estufa ou “cultura normal”? E quer saber se o escoamento é garantido? A única coisa que há garantida neste Mundo, é a morte.
    Não precisa de informação, precisa de estudar a lição antes de começar a fazer perguntas. E não as faça a mim que de cânhamo não sei nada.

  21. isabel

    Referiram apoios à plantação, a existência de subsidios. Como é possivel obtê-los para a plantação de canhamo?

  22. luis simões

    cordiais saudaçoes… quer-me parecer a mim que,encontro neste blog,pessoas minimamente informadas em relaçao ao respectivo assunto(…)e,como tal,gostaria de expÔr a seguinte situaçao:possuidor de varios hectares de terreno,com alguns dos mesmos em situaçao de «baldio» que pretendo rentabilizar.possuidor de capital destinado a rentabilizaçao dos ditos. perguntas:existe algum tipo de incentivo de cariz europeu(monetario)em relaçao à plantaçao e/ou produçao?quais as condiçoes para poder aceder aos mesmos?qual a documentaçao nessecaria?o que plantar,para obter o que?como plantar?como armazenar?como cultivar?que mercado existe?(compra venda)gosta que algem,se possivel credenciado,me podesse informar…

  23. José Rui Fernandes

    Caro Luis Simões, tendo em consideração o que tenho lido, o melhor era dirigir-se a uma delegação do ministério da agricultura, de preferência pessoalmente. Note que a transformação que eu saiba, não está assegurada cá — teria de exportar a produção. Não parece um processo totalmente fácil, mas na agricultura não há nada fácil.

  24. maximiliano carvalho

    no dia 29-4-2009, na rtp2, na biosfera, deu um programa sobre o canhamo industrial, onde se falou das tentativas da gnr de destruição das culturas.foi uma estoria mal contada ao estilo dos coitadinhos, porque não é proibido semear canhamo em portugal com thc inferior a 0.3, nem o salazar se atreveu a proibir tal e muito menos a democracia, quem proibe são os ignorantes, ao não dizerem que canhamo Thc < 0.3, é o linho dos nossos avôs.que é cultivado no norte no minho e douro litoral região de vouzela, campia etç, só foi referido o seu cultivo na estremadura. de lamentar o achaques do sr engenheiro lince que demonstrou uma ignorancia atroz apesar de ser do ramo.
    assim é preferivel não entrevistar essa gente. melhor era entrevistar lavradores, velhotes ex-linheiros, professores como os de eb campia, etç sabem mais que o sr ex- governante que de linho vale zero, uma vergonha.
    eu pessoalmente ainda me lembro do cultivo do linho e das suas belas flores azuis, em vila meã amarante.
    tambem poderiam dizer que o linho é o canhamo, assim estavam a falar para o povo e não para os intelectuais de prateleira.
    sem mais

  25. José Rui Fernandes

    O linho é o linho. O cânhamo é o cânhamo. Que queira dizer que das fibras do cânhamo se fabricam tecidos, é outra coisa.

  26. Paulo Grilo

    Boas, o cânhamo uma das sementes que eu gasto todos os dias e pelo que li aqui, cheguei á conclusão o porque de ser tão caro, ando a comprar 1kg a 4.5 euros, e o Sr. Da loja esta sempre a dizer hoje só tenho este pacotes como sabe isto é proibido e o fornecedor esta a vender mais caro… e gasto muito desta semente porque sou criador de Canários e Fauna europeia e quando faço engodo para a pesca á carpa e barbos já junto 2 kg de cânhamo moído o qual tenho que o moer, porque o Sr. Da loja diz que o cânhamo moído é muito mais caro e só por encomenda.
    Mas vou imprimir aqui algumas coisas e vou levar para mostrar ao Sr. Da Loja.
    Desde já MUITOS PARABENS POR ESTE MANIFICO BLOG:
    Cumprimentos:
    P.GRILO

  27. Artur Correia

    Estou a pensar em cultivar cânhamo, só que não sei a quem vender nem se será economicamente viável. Será que alguém consegue ajudar-me?

  28. José Terra

    Estou muito interessado nesta temática, desde já os meus parabéns pela vossa luta, que espero ser também a minha muito em breve.
    Ate breve, na alfandega do Porto.
    Cumprimentos.
    José Terra

  29. hugo direito

    boa tarde , sobre esta tematica tenho algumas duvidas , visto a minha experiencia nao ser nehuma nesta materia de canhamo, mas pelo que tenho vindo a ler em livros e na web , e um recurso do futuro e uma planta com caracteristicas imensas ,mas as minhas duvidas residem praticamente sobre o como plantar e onde buscar as sementes omulgadas ? se bem que ja encontrei na web , um site da sensiseeds qe vende sementes de hemflax , de canhamo industrial e o respectivo certificado da UE , mas sera qe tb servem para portugal? e para cultivo de canhamo particular sem grandes dimensoes , que burocracia sera necessaria ou onde me tenho de dirigir ? e se necessario tb exportar para espanha , visto la terem industria transformdora , como proceder ? e se possivel quais os gastos a pensar ? despeço me como os melhores cumprimentos e a continuaçao do excelente trabalho obrigado ..

  30. José Carvalho

    mas sem necessidade de utilização de pesticidas ou herbicidas, podendo por isso ser um produto 100% biológico

    Parabens e obrigado, mas
    Tem a certeza disto?
    Um ser vivo imune a pragas e doenças???
    E já agora, penso que será preciso autorização tanto pra plantar 1 campo de futebol como meia duzia de plantas
    cuidado.

    cumps

  31. José Rui Fernandes

    Sim, julgo que não se pode plantar à balda. Mas há sementes aprovadas com baixo teor das substâncias… problemáticas. Mas nunca aprofundei este assunto.

  32. André

    muito boa tarde.

    Fico muito satisfeito por saber que existem pessoas neste país que sabe alguma coisa sobre o principal recurso natural renovável da terra, que tem inúmeras aplicações. Muitas vezes pergunto.me a mim se nem mesmo para salvar o mundo esta planta poderá ser plantada por todos nós em terrenos e quintas familiares? será o cânhamo o mercado novo? Mas tudo isto já foi feito porque não resultou? henry ford construiu o seu automóvel a partir de fibras vegetais (40% fibra de cânhamo), nessa mesma altura o seu rival Rockefeller( John Davison Rockefeller- transformou uma das maiores empresas de petróleo)como neste caso e muitos mais, estes grandes monopólios assim como industrias papeleiras e de petroquímicas(dupont etc…) tinham que proteger os grandes investimentos caso o cânhamo fosse legal perderiam milhões. Conseguiram fazer a lei da taxação da marijuana/cânhamo baseando-se sempre na “ciência rasca” e subornando os políticos etc… conseguindo acabar com toda a economia-natural, onde há um ciclo sustentável e renovável. Acho que antes de começar a plantar cânhamo, deveria-mos todos mudar a mentalidade das pessoas, de dar a conhecer os benefícios que ela nos traz, desde a nível económico a ambiental. Sugiro que comprem o livro “O Rei vai nu”, o cânhamo e a conspiração da marijuana de jack herer. Em tempos atrás alguém sabe qual foi a capital portuguesa da cannabis?
    Gostaria de dizer ao Sr. José rui Fernandes que uma das minhas principais fontes de alimentação são as sementes de cânhamo, que infelizmente tive que mandar vir da Holanda.
    Sem mais assunto os meus cumprimentos.

  33. c.isabel vieira

    Bom dia

    comentários:
    toda esta temática é fascinante, acho que a preocupação em salvar o planeta, deveria ser o principal objectivo de todos nós, mas infelizmente estamos muito concentrados em problemas menores do nosso dia a dia.
    não me parece que a ideia de informar o cidadão comum sobre as vantagens de plantar cânhamo tenha grande interesse.
    o cidadão comum quer bom produto a preço em conta.`é isso que os “iluminados” têm de conseguir meter no mercado, com muito cuidado para que a “oposição” não os destrua.

    gostaria que alguém me informasse sobre as seguintes questões:

    o manual da plantação de cânhamo já existe?
    onde adquirir (em livro ou revista) informação sobre o cultivo e tratamento, nomeadamente:
    (preparação dos terrenos – basta “lavrar”??; cultivo – é necessário “sachar??”; apanha – é “ceifado”??; pode ser “enfardado” em fardos rectangulares, como a palha para animais?; os terrenos ficam com sementes que poderão trazer problemas legais após a apanha?; se a apanha não for efectuada quais as consequências?)
    como se efectua a encomenda das sementes? Qual o seu custo actual? qual o prazo de entrega? Onde serão levantadas?
    relativamente à transformação, onde existe informação sobre os processos de tranformação, informação sobre máquinas, de modo a determinar custos de investimento?

    Obrigado

  34. joao manuel

    li com atencao os varios depoementos e sugestoes vivo em angola e gostava de saber se ja existe alguma literatura
    em relacao e a diferensa do canhamo e a liamba (cannabis)
    pois todo mundo que tem plantado mesmo as sementes que vem
    na mistura dos canarios vai de cana gostava que fossem mais
    explecidos e onde podemos adquerir literatura sobre o assunto

  35. pedro

    o cânhamo é, em última análise, mau para muita gente. a começar pelas farmacêuticas. coitados dos senhores iam deixar de vender tantos antidepressivos, remédios para a asma e outros como inibidores de náuseas nos tratamentos de quimioterapia.
    depois as gasolineiras. dizem que o cânhamo pode produzir mais energia mais barata que o próprio petróleo. aí os senhores da exxon, da bp e companhia limitada íam ficar pobrezinhos, coitadinhos.
    depois os petroquímicos, as indústrias do papel e celulose, a malta do algodão e essa cambada toda que ia deixar de trocar de mercedes todos os anos à conta de poluir o ar e os rios do nosso planeta. o cânhamo, só para dar um exemplo, necessita menos agentes branqueadores na produção de celulose e pasta de papel do que o eucalipto, por ex.
    last but not least, os traficantes de droga (neste caso cannabis) iam deixar de ter 500% de lucro não declarado nas finaças e milhões e milhões de euros ficariam cá para talvez… pagar aos funcionários públicos, quem sabe?
    portanto não plantem cânhamo, não legalizem a cannabis(com thc) e deixem os coitados dos senhores continuarem a encher os bolsos. eles agradecem.

    um abraço
    pedro

  36. Miguel Andrade

    olá
    poderiam por favor dizer-me onde posso comprar fibra de canhamo
    muito obrigado

  37. pedro dias

    Boas

    Alguém me sabe informar quais os canais de escoamento para esta planta? Existe alguma indústria transformadora em Portugal? Existe alguma indústria transformadora em Espanha que compre Cânhamo made in Portugal? Será que quem pensar em produzir tem de pensar em transformar?

  38. José Rui Fernandes

    Eu não sei, mas é o mais certo. Também desconheço se as “legalidades” já estão resolvidas e se o cultivo é permitido.

  39. LUCILIA

    Olá!

    QUERO PLANTAR CÂNHAMO NO RIBATEJO!

    Por onde começo?

    Onde está a empresa cânhamo de porugal?

    Se já não existe ,quem nos apoia?

  40. manuel josé duarte

    Meus caros, boa noite, quero dar-vos conhecimento que está onelin a petição sobre a “produção nacional do cânhamo industrial”. Divulguem e assinem. Não se esqueçam de validar no vosso e-mail. Os solos, o ambiente e a Mãe Natureza agradecem. A finalidade da petição é alterar as consciências, criar um grande movimento público nacional de opinião e de pressão contra os lobbys e interesses instalados, e alterar a desertificação do interior e das terras, criar emprego e mobilizar as diversas áreas da ecónomia nacional. O CÂNHAMO é uma planta, por, excelência. Sobre livros temos: “As últimas horas da antiga Luz do Sol”; “Manifesto do Cânhamo”; “O Rei vai nu”; “O Pão dos Deuses”, por exemplo. Existem também muitos grupos/associações de jovens “rurais”/biológicos; feiras semanais de venda de produtos bio. Realizam-se já feiras anuais alternativas. Há Micró-Empresas Portugusas destas áreas alternativas. Estou certo que todos, juntos, conseguiremos alterar o curso selvatico e suicida da nossa Terra e por conseguinte do Planeta. Creio que tenhamos de fazer um 1º encontro sobre o CÂNHAMO (sem THC). Arregacemos as mangas. Um forte abraço caloroso. Bem hajam!!!

  41. goncalo

    eu sinceramente ja desisti de fazer seja o que for neste pais o problema nem e o governo sao os portugueses, tem uma mentalidade completamente atrofiada e nao sao capazes de fazer seja o que for. a unica coisa que os portugueses sabem fazer e trabalhar para um patrao tipo burro com pala nos olhos, nao sao capazes de ter um pesnamento empreendedor deve ser por causa de termos sempre governos opressores que so esmagam e axficiam a economia e as pessoas em prol de uma elite corrupta e nojenta, mas se o ze povinho nao se mexe e nao forca governo a dar nos algum poder para podermos sobreviver, eles ate isso vos vao tirar e fazer vos rastejar, mas esta e a realidade, voces falam falam mas no fim nao vao fazer nada, arranjam desculpas p tudo e mais alguma coisa para nao se mexerem, os portugueses sao os perfeitos funcionarios publicos, perfeitos escravos querem um emprego, e um salario, tudo o resto e abstracto nem percebem mais nada, uma mentalidade escravos perfeita p o que esta a contecer, sermos colonizados e roubados. triste… muito triste deve ser karma, karma que nao vou poder partilhar com voces. se alguem quiser fazer uma empresa comigo neste sector fica aqui o meu email. revolution_gonzo@hotmail.com

Comments are closed.