Michael E. Mann Vs. Tim Ball

Passados tantos anos, mais do mesmo ou pior. Depois de um Miranda, por incrível coincidência, temos uma Miranda num dos pasquins que restam da blogosfera. A Miranda não só parece, como é certamente mais ignorante e mais esganiçada que o Miranda. Alguém me chamou a atenção para este caso Michael E. Mann Vs. Tim Ball que vou comentar. Não é possível perder muito tempo, só da introdução a quantidade de patetice é pavorosa:

Para quem não sabe, Michael E. Mann é uma espécie de “José Sócrates” da ciência: um “cientista” de sucata, mentiroso compulsivo, comprado pelos políticos. Foi com base nos seus registos de temperatura – a que designaram de “hockey stick” – que se fundamentou a teoria do “aquecimento global”. No entanto, como foi provado pelo escândalo Climategate, esses dados foram claramente manipulados para que se registasse uma curvatura de aquecimento abrupta que nunca ocorreu.

Gráfico

Compara Michael E. Mann com José Sócrates (chamando-lhe igualmente mentiroso compulsivo)1, sendo climatologista e geofísico é cientista entre aspas (Tim Ball um geógrafo reformado é “um prestigiado cientista em climatologia” sem aspas) e de sucata (meu Deus), etc, comprado pelos políticos (convinha concretizar uma acusação destas). O “hockey stick” que a senhora parece realmente julgar se tratar de um verdadeiro taco de hóquei, nunca foi desmentido até hoje, pelo contrário2. Todos os anos tem sido confirmado. Do chamado climategate3, mais uma invenção desta camarilha, nenhuma irregularidade foi encontrada ou provada. Se os dados foram manipulados a Miranda deve ter provas disso que mais ninguém tem4. Ainda negar nos dias de hoje a subida da temperatura global desde o período pré-industrial é verdadeiramente espantoso, chega a ser bizarro5. E nem dá para continuar, mas como se não bastasse a extraordinária desonestidade intelectual do que escreve, ainda vai picar algures uns gráficos que alguém teve o trabalho de compor.
Os gráficos estão sobrepostos como se representassem a mesma coisa — ou seja, o segundo é como se fosse o “hockey stick” corrigido, na cabeça destes mentecaptos. O primeiro é de Michael E. Mann que grosso modo é o “hockey stick” e com as temperaturas do hemisfério norte. O segundo o do geógrafo, que diz que é a temperatura na Europa e as suas variações a partir de uma média (que segundo ele será cerca de 9,25ºC no século XX). A Cristina Miranda, esta grande aferidora de proeminentes quase cientistas, já deve ter idade para pensar pela sua cabeça, nesse sentido não me acredito nem em ignorância, nem em boas intenções, apenas na vontade explícita de divulgar falsas informações com objectivos que daqui não consigo descortinar. Porque, em boa verdade, isto nem sentido faz. Etc, etc. Todo o texto é de uma indigência a toda a prova.

Do Facebook de Michael E. Mann sobre a “condenação”:

The defendant Ball did not “win” the case. The Court did not find that any of Ball’s defenses were valid. The Court did not find that any of my claims were *not* valid.
The dismissal involved the alleged exercise of a discretion on the Court to dismiss a lawsuit for delay. I have an absolute right of appeal. My lawyers will be reviewing the judgment and we will make a decision within 30 days.
The provision in the Court’s order relating to costs does NOT mean that I will pay Ball’s legal fees.
This ruling absolutely does not involve any finding that Ball’s allegations were correct in fact or amounted to legitimate comment. In making his application based on delay, Ball effectively told the world he did not want a verdict on the real issues in the lawsuit.

E por fim, uma senhora que tem o desplante de escrever um artigo destes num pasquim como o Blasfémias, tem a distinta lata e a arrogância de escrever uma espécie de “carta aberta” a Greta Thunberg no Observador, começando logo por lhe dizer que tem um filho e “ao contrário dos teus pais, não lhe alimento o medo. Informo.” Até já conhece os pais dela e tudo, é um mundo. A quantidade de asneiras grosseiras todas devidamente credibilizadas por um link, dava para eu escrever mais um mês — algumas foram resolvidas há décadas. Até em 500 cientistas fala (um velho truque destes figurões, que regularmente têm centenas de proeminentes cientistas a dizer algo)… cientistas aferidos por esta grande aferidora de cientistas, imagine-se o nível! Se o fossem (até lá está o bom velho visconde Monckton, esse grande cientista em estudos jornalísticos e “clássicas”, é surrreal), bastaria só um, como diria Einstein. A Greta Thunberg com 16 anos já sabe certamente mais sobre este assunto do que a Cristina Miranda alguma vez saberá, porque se lhe interessasse realmente e quisesse saber, já saberia. Vem a conversa cansada dos “interesses”, como se o dinheiro tivesse nome e alguma vez tivesse visto um “interesse” que não tivesse gostado. Como por exemplo o “interesse” das indústrias fósseis que ainda hoje fornecem 85% da energia mundial. Podia ter interesse, sei lá, em ar limpo para o tal menino que “informa” tão bem. Coitada da Cristina Miranda, aqueles 15% dão-lhe cabo da cabeça.

  1. O José Sócrates é um mentiroso compulsivo, mas porque não o Donald Trump que é americano e é um mentiroso compulsivo global? Politifact. []
  2. NewScientist []
  3. Eight committees investigated the allegations and published reports, finding no evidence of fraud or scientific misconduct.” Wikipedia []
  4. Steve McIntire um director de uma companhia mineira e naturalmente um cientista a sério. Mais o Watts (meteorologista da rádio e tv) e o Ross McKitrick (economista), sempre os mesmos sem vergonha a ser papagueados pelas Mirandas deste Mundo. Wikipedia. []
  5. European Environment Agency []

Deixe uma resposta

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.