Uma perspectiva de um médico suíço sobre a Itália +

O grande vazio
As cidades vazias por todo o Mundo. New York Times.

Cidades dos EUA vazias
Vistas do ar. The Guardian.

Portugal tem poucos testes
O que deve significar que testa pouco. Se houvesse só uma medida a tomar, seria esta. A culpa da falta de material nos hospitais ainda com ocorrências dentro do normal não pode morrer solteira. Observador.

Uma perspectiva de um médico suíço sobre a Itália
“(…) the average age of the positively-tested deceased in Italy is currently about 81 years. 10% of the deceased are over 90 years old. 90% of the deceased are over 70 years old.
80% of the deceased had suffered from two or more chronic diseases. 50% of the deceased had suffered from three or more chronic diseases. The chronic diseases include in particular cardiovascular problems, diabetes, respiratory problems and cancer.
Less than 1% of the deceased were healthy persons, i.e. persons without pre-existing chronic diseases. Only about 30% of the deceased are women.” Achei tudo isto bastante esclarecedor e informativo do princípio ao fim. Leiam as actualizações. Swiss Propaganda Research, Via Corta-fitas.

Abaixo dos mínimos
Corta-fitas.

O crescimento de um organismo processa-se por ondas
É uma descoberta incrível. E mais “The behavior of these swirling waves, the researchers realized, is similar to the waves generated in other, seemingly unrelated systems, such as the vortices in quantum fluids, the circulations in the atmosphere and oceans, and the electrical signals that propagate through the heart and brain.” Talvez exista realmente uma equação de tudo. MIT News.

Metade da população do Reino Unido pode já estar infectada com o SARS-CoV-2
Ou assim o julgam investigadores da Universidade de Oxford. Parecem más notícias, mas são boas: muito menos pessoas que o que julga ficam doentes, menos ainda necessitam de ser hospitalizadas. (É um PDF.)

Professor italiano avisa que o coronavirus começou a espalhar-se pelo Mundo o ano passado
Considero uma hipótese cada vez mais provável. Na minha opinião é que chegou meses antes de cada país reportar o “primeiro caso”. South China Morning Post.

Deixe uma resposta

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.